Home

 Imagem

No final do século XVIII e no princípio do seguinte, a palavra germânica Kultur era utilizada para simbolizar todos os aspectos espirituais de uma comunidade e na mesma época a palavra francesa Civilization simbolizava às realizações materiais de um povo. Edward Tylor (1832-1917) promoveu a junção das palavras alemã e francesa criando o termo do inglês Culture. Em relação à definição do novo termo, Tylor define: “tomado em seu amplo sentido etnográfico é este todo complexo que inclui conhecimentos, crenças, arte, moral, leis, costumes ou qualquer outra capacidade ou hábitos adquiridos pelo homem como membro de uma sociedade”.  Nesta definição Tylor abrangia em uma só palavra todas as possibilidades de realização humana, formalizando uma ideia que vinha crescendo na mente humana. Os primeiros vestígios acerca da definição de cultura como a expressa por Tylor ganhou consistência antes mesmo de John Locke que defendia a endoculturação, afirmando que a mente é uma caixa vazia quando nascemos e que somente absorve o que é aprendido.

Reforçando as idéias de Locke, o antropólogo o norte americano Marvin Harris (1969) diz: “Nenhum ordem social é baseada nas verdades inatas, uma mudança no ambiente resulta numa mudança no comportamento.” (Marvin Harris 1969 apud Laraia, 2009) e Jacques Turgot (1727-1781), seguia a mesma linha de pensamento assim como Bronislaw Malinowski e Leslie White, como o leitor constatará no decorrer deste trabalho.

Centenas de definições foram formuladas após Tylor na primeira metade do século XX, tais definições serviram mais para estabelecer mais uma confusão do que ampliar os limites do conceito. Tanto é que, em 1973, Geertz foi necessário diminuir a amplitude do conceito e modificá-lo, tornando-o um instrumento mais especializado do ponto de vista teórico.

Sendo assim, em 1871, Tylor definiu cultura como sendo todo o comportamento aprendido, tudo aquilo que independe de uma transmissão genética, como diríamos hoje.

O homem age, de acordo com o que a cultura dele prega. Cada ser humano é resultado do meio em que foi socializado.

 Imagem

Elaborador por : Milena Costa, Rodrigo Pacheco, Luiz Fernando Medina, Sergio Riman Dias, Vinicius Martins

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s